terça-feira, 5 de agosto de 2014

Exposição | Salvador Dalí no CCBB



Essa semana recebemos um convite demais:  visita ao CCBB pra ver a obra do pintor Salvador Dalí. Chegando lá, fomos recebidos por um guia que nos apresentou e percorreu toda a exposição. Isso é sempre muito bom porque nos ajuda a enxergar detalhes que não perceberíamos sozinhos, e ainda ficamos sabendo de alguns extras que vamos contar nesse post. Bora lá!

Observar as obras enquanto ouvíamos um pouco sobre a história de Dalí, as inspirações, seu jeito de ser, particularidades, etc. só fez aumentar ainda mais nossa admiração pelo inteligentíssimo trabalho do pintor.


Uma das melhores descobertas foi saber que Dalí era um profundo conhecedor de física quântica. Ficamos sabendo que ele fez questão de estudar este tema afim de ajudar na construção de suas telas - sempre com elementos que quando vistos sob uma perspectiva diferente formam uma nova imagem, saca só um exemplo no quadro abaixo:


Dá pra enxergar o rosto de Salvador Dalí entre os dois bonecos, vocês conseguem perceber?



De perto, o que forma o rosto são duas pessoas. As roupas pretas, quando vistas de longe formam claramente o bigode característico do pintor, enquanto a cabeça e os chapéus tracejam os olhos.
  
Dá pra passar horas na frente de um quadro desses. Fala sério! Tem muuuitos micro detalhes.

As telas dele são fáceis de reconhecer. Em sua grande maioria, elementos como chaves e formigas quase sempre marcam presença.


Depois de perceber isso, tivemos que perguntar se existia algum significado por trás desses itens. E como em toda criação genial, a resposta foi positiva. As chaves representavam para o artista uma fuga do mundo real, uma vez que um segredo poderia ser trancado em uma gaveta e permanecer protegido. O contexto era mais ou menos esse. Saca só do que estamos falando:




As formigas possuem uma história mais curiosa: o pintor era um grande admirador dos prazeres da carne, digamos assim, e associava a sensação do toque das formigas na pele ao desejo sexual.



A exposição possui uma curadoria sensacional do trabalho de Dalí: telas, fotos, ilustrações, vídeos e até as propagandas de TV em que o mestre atuou.

 
Quem quiser chegar lá no CCBB, super indicamos o programa! Foi uma horinha super bem aproveitada do nosso dia, afinal, um pouco de cultura nunca é demais ;)

Nosso super obrigado à Approach pelo convite, nem precisamos dizer que foi demais!


***

Centro Cultural Banco do Brasil - Rio de Janeiro
Rua Primeiro de Março, 66 - Centro

Nenhum comentário:

Postar um comentário